CUIABÁ

FISCALIZAÇÃO

PF apreende 15 caminhões carregados de madeira ilegal no norte de MT

Published

on

A Polícia Federal apreendeu na madrugada desta quarta-feira (22) 15 caminhões carregados de madeira ilegal na Terra Indigena Aripuanã, localizada na região da Aldeia Taquaral, no municipio de Aripuanã (1.002 km de Cuiabá). Foram apreendidos também 3 tratores e 3 motos.

 

De acordo com a PF, a ação desta quarta faz parte da Operação Onipresente, deflagrada em conjunto com o Ibama na repressão da extração de madeira e garimpos clandestinos em terras indígenas no norte de Mato Grosso.

 

Neste ano, na mesma localidade, a PF já havia desmantelado a ação de garimpeiros e, agora, a ofensiva da polícia reprimiu a tentativa do retorno da atividade garimpeira. Esse ponto também foi alvo da Operação Ato Reflexo, que resultou na prisão de um servidor da Funai (Fundação Nacional do Índio) e um cacique que recebia 20% de todo ouro extraído da terra indígena.

 

A PF afirma que esta é uma área muito extensa e com grande contingente de desmatamento, com estradas que vão de Aripuanã até Rondônia dentro da Terra Indígena. Calcula-se que todos os dias saem dessa área de desmatamento pelo menos 10 caminhões carregados de toras de alto valor.

Leia Também:  Sine Estadual disponibiliza 1,8 mil vagas de emprego nesta semana

 

Segundo o órgão, pela grande extensão a ser fiscalizada as equipes conseguiram apenas nesta madrugada realizar o equivalente a 10 dias de trabalho.

 

Além da ação desta madrugada, nos dias anteriores equipes também atuaram nos seguintes locais:

 

– Garimpo no Rio Roosevelt – inutilizadas 6 balsas, 1 caminhão e 3 motos
– Garimpo na Terra Indígena Aripuanã no ponto do Tamari – inutilizados 6 motores e 1 Pá Carregadeira

– Fiscalização Terra Indígena Kayabi, Kayapó, Zoró e no Parque Nacional do Xingu

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

MATO GROSSO

TRT-23 alerta sobre golpe no WhatsApp sobre cobrança para liberação de alvará

Published

on

Quem tem processo na Justiça do Trabalho em Mato Grosso deve ficar atento a um golpe que vem sendo praticado: criminosos entram em contato com trabalhadores se passando por advogados, informam que há um valor disponível na Justiça para ser sacado e pedem transferência em pix para pagamento de falsas custas.

O TRT-23 informa que não recolhe valores por pix. Eventual cobrança de custas do processo é realizada apenas via Guia de Recolhimento da União (GRU).

Golpe

Até o momento, a informação é que foi realizada tentativa de golpe em cerca de 100 trabalhadores do município de Pontes e Lacerda. Dois deles transferiram R$3.800 cada. Ambos são clientes da advogada Fabiane Batistetti, que atua há 22 anos na região e nunca trocou o número de telefone.

“Os golpistas pegaram a logo do meu escritório e usaram como foto e entraram em contato com os clientes por outro telefone. Uma trabalhadora fez um pix parcelado e a outra pegou dinheiro emprestado com a filha para pagar os golpistas”.

Leia Também:  Polícia Civil prende em flagrante mulher por tentativa de estelionato

Segundo a advogada, os criminosos informam por whatsapp que estão no Tribunal recolhendo o alvará para liberação dos valores. Na sequência avisam que o governo vai descontar 27% do total, a menos que o cliente pague uma “certidão para isentar dessa cobrança” no valor de R$3.800.

A advogada alerta para que nunca se faça qualquer transferência sem confirmar a identidade da pessoa que está falando. “Pede um áudio, liga de volta, faz uma chamada de vídeo ou vá até o escritório do seu advogado”, aconselha.

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA